segunda-feira, 16 de abril de 2018

O meu sacrifício é maior, porque é o meu!


A derrota de ontem, que ditou a perda do primeiro lugar e talvez o penta, custou a todos os benfiquistas. Eu sofria à distância, numa festa duns familiares que prezo muito, mas só lá estava o corpo, porque a cabeça estava na Luz.
Estava longe quando saiu o onze titular. Foram escolhidos Varela; André Almeida, Rúben Dias, Jardel e Grimaldo; Fejsa, Pizzi, Rafa, Zivkovic e Cervi; Raúl. A grande dúvida estava desfeita, o Jonas nem no banco.
Lá bem no fundo tinha a secreta esperança de ainda conseguir ir ao jogo.
Começou o jogo e eu estava longe. Lia no telemóvel os lances principais e não conseguia acalmar.
A festa acabou num ápice e a esperança confirmou-se, conseguia ir à 2ª parte.
Deixo as miúdas em casa e parto em velocidade cruzeiro para o Estádio da Luz, sempre com o rádio no jogo. Alguém olhava por mim lá em cima e arranjei lugar em plena 2ª circular, algo impensável num jogo desta dimensão.
Vou a correr de fato e sapatinho bonito para chegar à bancada aos 10/15 minutos da 2ª parte. O que vi não me alegrou nem um pouco, pois só dava Porto e as substituições não mudavam nada.
Aos 90 minutos uma bomba de fora da área rebentou com a esperança benfiquista e não vi o meu esforço recompensado.
Doeu a todos, mas a mim doeu mais!

5 comentários:

  1. O que o Benfica nos faz fazer....

    ResponderEliminar
  2. Temos de estar unidos companheiro agora mais do q nunca. Forcaaaaa meu Benficaaa vamos ganhar

    ResponderEliminar
  3. Se o Artur Sem Dias,não tivesse sido ameaçado no centro de estágio da Maia,tinha-se evitado tanto sofrimento,se marcasse aquele óbvio penalti.Quem sai aos seus não degenera...

    ResponderEliminar
  4. Pois é Nuno dói dói bué

    ResponderEliminar
  5. Somos enormes.BENFICA ergam as bandeiras somos maiores que portugal

    ResponderEliminar